• Contribuição

    Os recursos arrecadados através da Contribuição Sindical Patronal auxiliam no desenvolvimento e no crescimento do associativismo. Além disso, garantem que as entidades sindicais possam exercer, de maneira plena, a representatividade das indústrias perante os órgãos governamentais.

     

    A tabela divulgada anualmente pela Confederação Nacional da Indústria – CNI é usada como base para a contribuição. 

     

     

    De posse do valor a ser recolhido, entre em contato conosco para emitir sua guia.  

     

    PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE CONTRIBUIÇÃO SINDICAL

     

    Quem deve pagar a contribuição sindical?

    Com o advento da Lei 13.467/17, o pagamento da contribuição sindical tornou-se facultativo. Todavia, cumpre ressaltar, que o recolhimento é um importante fator no desenvolvimento do associativismo e no consequente fortalecimento do setor econômico no qual a empresa está inserida.

     

    Empresa não associada ao sindicato pode pagar a contribuição sindical?

    Sim. O fato de não se filiar a sindicato não impede que as empresas façam o recolhimento em prol do fortalecimento do seu setor. 

     

    Qual o prazo de pagamento da contribuição sindical patronal?

    A contribuição sindical patronal tem seu vencimento no dia 28 de fevereiro e seu pagamento deve ser efetuado exclusivamente por meio da Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical Urbana (GRCSU), conforme modelo aprovado pela Caixa Econômica Federal.

     

    Para qual sindicato a empresa deve recolher a contribuição sindical?

    A empresa deve recolher a contribuição em favor do sindicato representativo de sua categoria econômica. Na ausência deste, a empresa recolher a contribuição sindical em favor da Federação das Indústrias.

     

    Com o pagamento da contribuição sindical, a empresa se torna sócia do sindicato?

    Não, o pagamento da contribuição sindical é independente da associação ao sindicato.

     

    A contribuição sindical é aplicada de que forma pelas entidades?

    A forma de aplicação dos valores arrecadados com a contribuição sindical é estabelecida no estatuto do sindicato, bem como em Assembleias Gerais da Categoria que tratem do tema.

     

    Posso pagar a contribuição sindical para outro sindicato?

    Não, a contribuição sindical deverá ser destinada para o sindicato que representa a sua categoria.

     

    A empresa iniciou suas atividades após o mês de pagamento da contribuição, como proceder?

    Para empresas que venham a se estabelecer após o mês de janeiro, o recolhimento da contribuição sindical deverá ser efetuado por ocasião do requerimento, junto às repartições competentes, do registro ou da licença para o exercício da respectiva atividade (Art. 586 e 587 da CLT).

     

    Nesse caso a empresa pagará juros ou multa?

    Não. Pagará somente o valor da contribuição devida, no mês de início de suas atividades.

     

    A empresa que iniciou suas atividades após o mês de pagamento da contribuição pagará a contribuição proporcional aos meses de atividade?

    Não. A contribuição sindical é cobrada de uma só vez para todo o exercício, pois, não existe proporcionalidade na cobrança desta contribuição.

     

    Os sindicatos precisam publicar o edital de contribuição sindical?

    Com o advento da Lei 13.467/17, as entidades sindicais não são mais obrigadas a promover a publicação de editais concernentes ao recolhimento da contribuição sindical. Porém, a FIESC continuará normalmente com as publicações, quais sejam, comunicados veiculados durante três dias, no jornal de maior circulação local e até dez dias da data fixada para depósito bancário (art. 605 da CLT). A FIESC publica o Edital em nome de todos os Sindicatos patronais.

     

    Como calcular o valor da contribuição sindical patronal para cada empresa?

    O recolhimento da contribuição sindical patronal deverá ser efetuado com base na tabela divulgada anualmente pela CNI. O valor é calculado a partir do capital social de cada empresa. 

     

    Como calculo o valor da guia?

    • Enquadre o Capital Social na "classe de capital" correspondente.
    • Multiplique o capital social pela alíquota correspondente à linha onde for enquadrado o capital.
    • Adicione ao resultado encontrado o valor constante da coluna "parcela a adicionar", relativo à linha do enquadramento do capital.

     

    Como se calcula a multa e os juros da contribuição sindical?

    De acordo com o Art.600 da CLT o recolhimento da contribuição sindical fora do prazo será acrescido da multa de 10% nos primeiros 30 dias com adicional de 2% por mês subsequente de atraso, além dos juros de mora de 1% ao mês e correção monetária.

     

    A empresa tem filiais em cidades diferentes, para qual sindicato deve contribuir?

    As empresas atribuirão parte do respectivo capital às suas sucursais, filiais ou agências, desde que localizadas fora da base territorial da entidade sindical representativa da atividade econômica do estabelecimento principal, na proporção das correspondentes operações econômicas, fazendo a devida comunicação às Delegacias Regionais do Trabalho, conforme a localidade da sede da empresa, sucursais, filiais ou agências. (art. 581, "caput" da CLT).

    Exemplo:

    • Capital da empresa: R$ 920.000,00
    • Faturamento da matriz em São José (Sindicato São José) R$ 800.000,00 → 80%
    • Faturamento na filial em Joinville (Sindicato de Joinville) R$ 200.000,00 → 20%
    • Total Faturamento R$1.000.000,000 → 100%

    A matriz São José, com percentual de faturamento em 80%, terá um capital proporcional de R$736.000,00 (R$ 920.000,00 x 80%), para fins de enquadramento na tabela de contribuição do sindicato respectivo.

    A filial Joinville, com percentual em 20%, terá um capital proporcional de R$184.000,00 (R$ 920.000,00 x 20%), para referido enquadramento.

    No caso de filiais, sucursais ou agências que pertencem ao mesmo sindicato e estão localizadas na mesma base territorial da matriz, não será aplicado o princípio da atribuição de capital.

     

    A empresa possui mais de uma atividade econômica, para qual sindicato deve recolher a contribuição sindical?

    Quando a empresa realizar diversas atividades econômicas sem que nenhuma delas seja preponderante, cada uma dessas atividades será incorporada à respectiva categoria econômica, sendo a contribuição sindical direcionada à entidade sindical representativa da mesma categoria.

    Assim, sem atividade preponderante, a contribuição é destinada aos sindicatos correspondentes a cada atividade.

    Conforme dispõe o art. 581, § 2º da CLT, entende-se por atividade preponderante a que caracterizar a unidade de produto, operação ou objetivo final, para cuja obtenção todas as demais atividades convirjam, exclusivamente, em regime de conexão funcional.

    Com relação às sucursais, agências ou filiais, procede-se da mesma forma (art. 581, § 1º da CLT).

     

    O capital social da empresa aumentou após janeiro, é necessário complementar o pagamento da contribuição sindical?

    A contribuição sindical dos empregadores, conforme dispõem os artigos 580, III e 587 da CLT, é proporcional ao capital da empresa e a época para pagamento é janeiro. Assim, o entendimento predominante, porém não pacífico, é no sentido de que as modificações do capital social durante o ano não implicam em complementação ou restituição de diferenças da contribuição sindical paga.

     

    O pagamento da contribuição sindical poderá ser parcelado?

    A contribuição sindical não pode ser parcelada por força do que dispõe o Art. 580 da CLT, que diz: "A contribuição sindical será recolhida, de uma só vez, anualmente".

     

    Onde posso pagar a contribuição sindical?

    A contribuição sindical poderá ser quitada até a data de seu vencimento em qualquer banco ou agências lotéricas. Após o vencimento somente na Caixa Econômica Federal.

     

    Posso pagar diretamente na sede do sindicato?

    Não. O Sindicato não poderá aceitar o pagamento da contribuição sindical em função dos recursos não serem totalmente revertidos para a entidade, no momento do pagamento o valor da guia é rateado no sistema bancário para as diversas entidades sindicais, conforme determina o Art.589 da CLT.

      

    Paguei errado para outro sindicato, o que faço?

    Nos casos de pagamento irregular, a empresa deverá encaminhar uma cópia da guia quitada para o sindicato que se beneficiou indevidamente do pagamento e solicitar a devolução exclusivamente da parcela que para ele foi ou será rateada conforme previsão legal.

     

    Quais os benefícios de recolher a contribuição sindical?

    • A empresa estará contribuindo com o fortalecimento da sua categoria econômica.
    • Poderá ser mais bem representada perante os órgãos públicos e no meio político.
    • Poderá questionar e exigir sua representatividade perante sua entidade sindical nas negociações coletivas e atividades reivindicatórias em geral.

    Read More

  • Contribuição

    Os recursos arrecadados através da Contribuição Sindical Patronal auxiliam no desenvolvimento e no crescimento do associativismo. Além disso, garantem que as entidades sindicais possam exercer, de maneira plena, a representatividade das indústrias perante os órgãos governamentais.

     

    A tabela divulgada anualmente pela Confederação Nacional da Indústria – CNI é usada como base para a contribuição. 

     

     

    De posse do valor a ser recolhido, entre em contato conosco para emitir sua guia.  

     

    PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE CONTRIBUIÇÃO SINDICAL

     

    Quem deve pagar a contribuição sindical?

    Com o advento da Lei 13.467/17, o pagamento da contribuição sindical tornou-se facultativo. Todavia, cumpre ressaltar, que o recolhimento é um importante fator no desenvolvimento do associativismo e no consequente fortalecimento do setor econômico no qual a empresa está inserida.

     

    Empresa não associada ao sindicato pode pagar a contribuição sindical?

    Sim. O fato de não se filiar a sindicato não impede que as empresas façam o recolhimento em prol do fortalecimento do seu setor. 

     

    Qual o prazo de pagamento da contribuição sindical patronal?

    A contribuição sindical patronal tem seu vencimento no dia 28 de fevereiro e seu pagamento deve ser efetuado exclusivamente por meio da Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical Urbana (GRCSU), conforme modelo aprovado pela Caixa Econômica Federal.

     

    Para qual sindicato a empresa deve recolher a contribuição sindical?

    A empresa deve recolher a contribuição em favor do sindicato representativo de sua categoria econômica. Na ausência deste, a empresa recolher a contribuição sindical em favor da Federação das Indústrias.

     

    Com o pagamento da contribuição sindical, a empresa se torna sócia do sindicato?

    Não, o pagamento da contribuição sindical é independente da associação ao sindicato.

     

    A contribuição sindical é aplicada de que forma pelas entidades?

    A forma de aplicação dos valores arrecadados com a contribuição sindical é estabelecida no estatuto do sindicato, bem como em Assembleias Gerais da Categoria que tratem do tema.

     

    Posso pagar a contribuição sindical para outro sindicato?

    Não, a contribuição sindical deverá ser destinada para o sindicato que representa a sua categoria.

     

    A empresa iniciou suas atividades após o mês de pagamento da contribuição, como proceder?

    Para empresas que venham a se estabelecer após o mês de janeiro, o recolhimento da contribuição sindical deverá ser efetuado por ocasião do requerimento, junto às repartições competentes, do registro ou da licença para o exercício da respectiva atividade (Art. 586 e 587 da CLT).

     

    Nesse caso a empresa pagará juros ou multa?

    Não. Pagará somente o valor da contribuição devida, no mês de início de suas atividades.

     

    A empresa que iniciou suas atividades após o mês de pagamento da contribuição pagará a contribuição proporcional aos meses de atividade?

    Não. A contribuição sindical é cobrada de uma só vez para todo o exercício, pois, não existe proporcionalidade na cobrança desta contribuição.

     

    Os sindicatos precisam publicar o edital de contribuição sindical?

    Com o advento da Lei 13.467/17, as entidades sindicais não são mais obrigadas a promover a publicação de editais concernentes ao recolhimento da contribuição sindical. Porém, a FIESC continuará normalmente com as publicações, quais sejam, comunicados veiculados durante três dias, no jornal de maior circulação local e até dez dias da data fixada para depósito bancário (art. 605 da CLT). A FIESC publica o Edital em nome de todos os Sindicatos patronais.

     

    Como calcular o valor da contribuição sindical patronal para cada empresa?

    O recolhimento da contribuição sindical patronal deverá ser efetuado com base na tabela divulgada anualmente pela CNI. O valor é calculado a partir do capital social de cada empresa. 

     

    Como calculo o valor da guia?

    • Enquadre o Capital Social na "classe de capital" correspondente.
    • Multiplique o capital social pela alíquota correspondente à linha onde for enquadrado o capital.
    • Adicione ao resultado encontrado o valor constante da coluna "parcela a adicionar", relativo à linha do enquadramento do capital.

     

    Como se calcula a multa e os juros da contribuição sindical?

    De acordo com o Art.600 da CLT o recolhimento da contribuição sindical fora do prazo será acrescido da multa de 10% nos primeiros 30 dias com adicional de 2% por mês subsequente de atraso, além dos juros de mora de 1% ao mês e correção monetária.

     

    A empresa tem filiais em cidades diferentes, para qual sindicato deve contribuir?

    As empresas atribuirão parte do respectivo capital às suas sucursais, filiais ou agências, desde que localizadas fora da base territorial da entidade sindical representativa da atividade econômica do estabelecimento principal, na proporção das correspondentes operações econômicas, fazendo a devida comunicação às Delegacias Regionais do Trabalho, conforme a localidade da sede da empresa, sucursais, filiais ou agências. (art. 581, "caput" da CLT).

    Exemplo:

    • Capital da empresa: R$ 920.000,00
    • Faturamento da matriz em São José (Sindicato São José) R$ 800.000,00 → 80%
    • Faturamento na filial em Joinville (Sindicato de Joinville) R$ 200.000,00 → 20%
    • Total Faturamento R$1.000.000,000 → 100%

    A matriz São José, com percentual de faturamento em 80%, terá um capital proporcional de R$736.000,00 (R$ 920.000,00 x 80%), para fins de enquadramento na tabela de contribuição do sindicato respectivo.

    A filial Joinville, com percentual em 20%, terá um capital proporcional de R$184.000,00 (R$ 920.000,00 x 20%), para referido enquadramento.

    No caso de filiais, sucursais ou agências que pertencem ao mesmo sindicato e estão localizadas na mesma base territorial da matriz, não será aplicado o princípio da atribuição de capital.

     

    A empresa possui mais de uma atividade econômica, para qual sindicato deve recolher a contribuição sindical?

    Quando a empresa realizar diversas atividades econômicas sem que nenhuma delas seja preponderante, cada uma dessas atividades será incorporada à respectiva categoria econômica, sendo a contribuição sindical direcionada à entidade sindical representativa da mesma categoria.

    Assim, sem atividade preponderante, a contribuição é destinada aos sindicatos correspondentes a cada atividade.

    Conforme dispõe o art. 581, § 2º da CLT, entende-se por atividade preponderante a que caracterizar a unidade de produto, operação ou objetivo final, para cuja obtenção todas as demais atividades convirjam, exclusivamente, em regime de conexão funcional.

    Com relação às sucursais, agências ou filiais, procede-se da mesma forma (art. 581, § 1º da CLT).

     

    O capital social da empresa aumentou após janeiro, é necessário complementar o pagamento da contribuição sindical?

    A contribuição sindical dos empregadores, conforme dispõem os artigos 580, III e 587 da CLT, é proporcional ao capital da empresa e a época para pagamento é janeiro. Assim, o entendimento predominante, porém não pacífico, é no sentido de que as modificações do capital social durante o ano não implicam em complementação ou restituição de diferenças da contribuição sindical paga.

     

    O pagamento da contribuição sindical poderá ser parcelado?

    A contribuição sindical não pode ser parcelada por força do que dispõe o Art. 580 da CLT, que diz: "A contribuição sindical será recolhida, de uma só vez, anualmente".

     

    Onde posso pagar a contribuição sindical?

    A contribuição sindical poderá ser quitada até a data de seu vencimento em qualquer banco ou agências lotéricas. Após o vencimento somente na Caixa Econômica Federal.

     

    Posso pagar diretamente na sede do sindicato?

    Não. O Sindicato não poderá aceitar o pagamento da contribuição sindical em função dos recursos não serem totalmente revertidos para a entidade, no momento do pagamento o valor da guia é rateado no sistema bancário para as diversas entidades sindicais, conforme determina o Art.589 da CLT.

      

    Paguei errado para outro sindicato, o que faço?

    Nos casos de pagamento irregular, a empresa deverá encaminhar uma cópia da guia quitada para o sindicato que se beneficiou indevidamente do pagamento e solicitar a devolução exclusivamente da parcela que para ele foi ou será rateada conforme previsão legal.

     

    Quais os benefícios de recolher a contribuição sindical?

    • A empresa estará contribuindo com o fortalecimento da sua categoria econômica.
    • Poderá ser mais bem representada perante os órgãos públicos e no meio político.
    • Poderá questionar e exigir sua representatividade perante sua entidade sindical nas negociações coletivas e atividades reivindicatórias em geral.

    Read More

  • Convenções Coletivas de Trabalho

    CCT 1996

    CCT 1997

    CCT 1998

    CCT 1999

    CCT 2000

    CCT 2001

    CCT 2002

    CCT 2003

    CCT 2004

    CCT 2005

    CCT 2006

    CCT 2007

    CCT 2008

    CCT 2009

    CCT 2010

    CCT 2011

    CCT 2012

    CCT 2014

    CCT 2015

    CCT 2016

    CCT 2017

    CCT 2018

    CCT 2019 

    CCT 2020

    CCT COVID-19

    MODELO DE TERMO DE ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

    MODELO DE OFICIO DE ENCAMINHAMENTO DO ACORDO

    MODELO ACT - REDUÇÃO-SUSPENSÃO

    Read More

  • Curso Online de Documento Único de Exportação

    O SIMMMERS está com inscrições abertas para o curso online de Documento Único de Exportação – DUE.

    Data: 24/07/2020.

    Inscrição: https://forms.gle/nqaPKkYXHgM7wNbs7

    Mais informações no e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

    Read More

  • g

     

    Read More

  • g

     

    Read More

  • Importante (2)

     

     


     

    A FIESC incentiva as boas práticas de gestão corporativa nos sindicatos filiados e certifica as entidades.

    O programa Compliance Sindical da FIESC certificou entidades sindicais filiadas a FIESC em 2021, nas categorias bronze, prata e ouro.

    O SIMMMERS foi certificado pela participação no Programa Sindicato Compliance, atendendo os requisitos para se enquadrar na categoria OURO.

    O resultado é fruto do trabalho coletivo entre empresários, diretores e equipe gestora. O desafio é manter e melhorar continuamente o processo de gestão sindical.

    Na busca constante por “um setor industrial forte e competitivo, com tecnologia, competência profissional e união de forças”.

    _____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

     

     

     

     

    ________________________________________________________________________________________________

     

    __________________________________________________________________________________________________________________________________


     

    FIESC homenageia indústria do Alto Vale do Itajaí

    Na quinta-feira, 26, representantes da FIESC Alto Vale do Itajaí e do SIMMMERS entregaram uma placa de reconhecimento para os diretores da Rio Riosulense, pela participação da empresa no Desafio Estágio 4.i.

     

    A competição foi criada pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL), entidade da FIESC, com a finalidade de promover a competitividade da indústria, com a participação de estudantes na solução de desafios. “Desde o início nos interessamos pelo projeto, pois tem semelhança com o momento da Rio, de incentivo à inovação. Não existe mais segredo industrial, precisamos compartilhar e aprender”, ressaltou Felipe Goulart, gerente técnico, da Rio Riosulense. “O desafio que colocamos era sobre uma indústria com 74 anos, em um contexto de mudanças tecnológicas como a eletrificação dos veículos, por exemplo. A melhor ideia dos alunos foi a de mudança de materiais, de tecnologia, inclusive de fabricação com manufatura 3D. Foi uma proposta completa, madura, possivelmente aplicável”, completou.

    Participaram do desafio 78 alunos de Engenharia Mecânica, Engenharia de Materiais e Design Industrial da UFSC, UDESC e SENAI, de Florianópolis, Joinville e Blumenau. O grupo foi dividido em duas equipes para cada uma das 13 empresas que se inscreveram. As soluções propostas deveriam gerar inovação, competitividade e sustentabilidade.

    O Estágio 4.i é um dos programas estimulados pela FIESC Alto Vale através do Eixo de Desenvolvimento da Indústria para Inovação (EDII) criado pela entidade. 

     FOTOS: Debora Claudio

     --

    Assessoria de Imprensa

    Vice-presidência da FIESC para o Alto Vale do Itajaí

     Atenciosamente,

    Debora Claudio - Jornalista - (47) 99985-8704

       

    Read More

Contato


captcha
Powered by BreezingForms

Localização

 

Rua. Pref. Wenceslau Borini, 2690, 89160-000 - Sala 01/A - Canta Galo, Rio do Sul - SC